Mestre Sebá

Com sonho de se tronar artista, mestre Sebá se mudou para Caruaru (PE) onde se apaixonou por mamulengos e onde fundou o Teatro Oficina Mamusebá, a Cia Pernas pra Circulá e o Teatro Garagem Mamusebá.

Em meio à multidão que passa pelo São João de Caruaru, uma das maiores festas juninas do País, um lugar chama a atenção: o teatro oficina Mamusebá, criado pelo Mestre Sebá, como ficou conhecido o ator e mamulengueiro pernambucano Sebastião Alves Cordeiro. Não é difícil entender por que, assim que as portas abrem, o espaço lota. A entrada dá lugar a um mundo para onde o mestre transportou a magia e o encanto dos bonecos mamulengos, ou bonecos de “mãos moles”.

O trabalho de mestres da cultura popular, como Mestre Sebá, é foco do Prêmio Culturas Populares, promovido pelo Ministério da Cultura (MinC). Com inscrições abertas até a próxima sexta-feira (28), a iniciativa premiará, com R$ 10 mil, 500 iniciativas de mestres, grupos, comunidades e instituições privadas que mantêm vivo o patrimônio da cultura popular do país, além de herdeiros de mestres ou mestras já falecidos. O objetivo do prêmio, que homenageia o mestre paraibano Leandro Gomes de Barros, é estimular uma das nossas maiores riquezas, a cultura feita pelo povo do Brasil.

Entrar no teatro do Mestre Sebá é voltar a ser criança. No chão, bancos e banquetas coloridos e forrados de chitão foram confeccionados sob medida para o público mirim e para os adultos. As laterais do teatro comportam vitrines com bonecos que mexem e que exemplificam aspectos da cultura nordestina.

Antes da encenação, também é impossível o público não reparar no céu iluminado do teatro. Além de luzes natalinas que simulam estrelas, há miniaturas decorativas de balões juninos. São 33 ao todo, um para cada ano do Teatro Mamusebá, criado em 1985 na oficina de Mestre Sebá.

Mestre Sebá nasceu em Sertânia, no sertão pernambucano, em 1957, e mudou-se para Caruaru na década de 1970 com o sonho de ser artista de cinema. Por lá, apaixonou-se pelo mamulengo e, com o tempo, além do teatro oficina Mamusebá, fundou a Cia Pernas pra Circulá e o Teatro Garagem Mamusebá. Hoje define o mamulengo como “sua vida” e afirma “não trocar Hollywood por Caruaru”.

“Meu sonho é ajudar as pessoas. Para mim, ser artista é ser um homem bom, que tem condições de contar boas histórias. Os mestres são praticantes e amantes do que fazem. Aqui não é só lúdico, tem formação também”, resume. “O que me orgulha é saber que os pais chegam com filhos, gostam e dizem que vinham quando eram pequenos”, conta.

“Para onde você olhar aqui tem minhas mãos, meu orgulho. Se desmontarem, eu consigo remontar tudo”, orgulha-se mestre Sebá,ao falar do Teatro. Além de apresentar cenas com seus bonecos, o Teatro é espaço para oficinas sobre bonecos e pernas de paus.

 

Prêmio Culturas Populares

As inscrições para o Prêmio Culturas Populares podem ser feitas on-line (http://sistemas.cultura.gov.br/propostaweb/index.html) ou por via postal (Ministério da Cultura / Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural – Prêmio Culturas Populares, Edifício Parque Cidade Corporate, Torre B, 9º andar, CEP: 70308-200, Brasília-DF, aos cuidados da Coordenação-Geral de Mobilização). Os candidatos podem se inscrever de forma oral, em áudio ou vídeo. Saiba mais neste link.

Edição de Texto: Alessandro Mendes
Texto: Cecília Coelho
Produção: Fernanda Almeida
Fotos: Janine Moraes
Vídeo: Guto Martins
Edição e finalização de vídeo: Gustavo Serrate
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura